Mais da Chapada dos Veadeiros

21 de maio de 2010

Acordamos cedinho, tomamos café da manhã bem reforçado, abastecemos as mochilas e saímos em direção ao Vale da Lua. Na estrada é possível avistar os Jardins de Maytrea e o Morro da Baleia. O Vale fica no sentido Alto -> São Jorge. Percorre-se 23 km de estrada asfaltada e 11 km de estrada de terra (barro vermelho um tanto pedregosa) e ao chegar à propriedade, anda-se 600 metros de trilha. A entrada custou R$ 10,00. O visual é muito bacana. Pedras polidas, cinzas, com crateras, moldadas pelo Rio São Miguel que corre manso dentre elas. É impressionante. Dá pra se sentir na lua por alguns momentos. Se não me engano, é possível hospedar-se lá mesmo e sentir mais intensamente todo o misticismo do local. Um banhozinho gelado pra refrescar, uma cobra sorrateira descansando sobre um toco, e outra cobra, essa esculpida em pedra com a boca aberta querendo abocanhar alguém…

Seguimos rumo a Raizama, que fica no Sítio Espaço Infinito, 3 km antes de chegar a São Jorge. É bom ficar atento às placas indicativas, pois elas podem passar despercebidas. A entrada também custou R$ 10,00. Anda-se por uma trilha de 2,3 km (ida e volta). O local também oferece a prática de Rapel e Canionismo/Cachoeirismo. A caminhada de ida é mais amena, com o frescor do vento que sopra gotículas de água. No primeiro ponto de parada, uma hidromassagem natural, sentamos sobre a rocha para desfrutar um lanche. Daria um banho relaxante, mas nosso mal era fome. Continuamos a caminhada e eis que surge o Salto do Raizama, queda de 50 m cuja água passeios por um caminho de cânions belíssimos. Pausa para foto e para admirar. A seguir, passamos pelos mirantes de Aroeiras e São Miguel e em seguida, chegamos as Piscinas de São Miguel. Banho gelado pra relaxar antes de encarar a volta. A volta foi muito estafante, pois o sol estava alto e o percurso tinha árvores pobres em folhas.

Saímos da Raizama e fomos ao Encontro das Águas, que fica a cerca de 16 km, sentido Colinas. O local tem um restaurante com um simpático tucano a observar os forasteiros. Logo apareceu o senhorio pra receber os R$10,00 da entrada. Enquanto eu e um casal de amigos nos aventuramos, meu noivo ficou no restaurante. A trilha é fácil e acontece sob a copa das árvores. Eis que surge o rio correndo manso e areia de praia?! Gente é delicioso tomar banho ali. Primeiro eu observei, tirei fotos, filmei e depois, tchibum na água geladinha. São duas “praias”. Chama-se Encontro das Águas devido ao encontro dos Rios São Miguel e Tocantinzinho.  Refrescamo-nos bastante e na hora que botávamos as roupas sobre as vestes de banho aconteceu uma tragédia: o amigo foi lavar o pé na água e sentou-se sobre uma pedra grande pra calçar o tênis. Acontece que a pedra estava quente, então ele pegou uma pedra menor pra sentar em cima. Ao retirar a pedra menor do lugar, ela bateu na pedra maior e se partiu fazendo com que um fragmento bastante afiado raspasse no pé dele cortando-o. O sangue começou a jorrar. Ele tentou fazer um ponto falso amarrando com a meia, mas sangrava muito. Então, eu voltei ao restaurante para chamar ajuda. O senhorio tratou de ir ao local acompanhado de um amigo. Enquanto isso, ficamos esperando angustiados. Demorou certo tempo, e eis que surgem os quatro voltando. O amigo se apoiava em um tronco que servia de cajado. Imaginei que ele iria se abater e que as atividades planejadas para os dias seguintes estavam comprometidas. Mas como ele é teimoso, não quis de forma alguma ir embora, sem concluir nosso último passeio do dia.

Ele deitou-se no banco de trás com o pé para cima, a noiva dele assumiu o volante e nós fomos para as Águas Termais. Lá tem uma estrutura bacana com restaurante e banheiros e a entrada custou R$5,00. Nosso amigo tratou logo de arrumar um cabo de vassoura para servir de apoio. O corajoso andou o percurso de cerca de 200 metros até as piscinas e ficou nos assistindo tomar banho. E cá pra nós, que banho revigorante. São 03 piscinas naturais(com água a 38º), dentro da Fazenda Rio Vermelho. Foi um banho rápido, pois queríamos chegar à estrada asfaltada antes de anoitecer. Chegamos a Alto e fomos direto ao hospital. Nosso amigo levou uns pontinhos e voltou com a notícia de que poderíamos continuar os passeios. Iupi!!!

Voltamos pra Pousada, tomamos banho e resolvemos jantar na Pizzaria 2000. Não comemos pizza. Tomamos vinho acompanhado de tábua de frios bem farta e encerramos com um delicioso filé com fritas. O preço saiu R$ 56,00 por casal. Era hora de recobrar as forças.

>> Pizzaria 2000: Av. Engenheiro Ary Valadão Filho 656 – CEP: 73770-000 – Alto Paraíso de Goiás, GO – Tel: (62) 3446-1814

22 de maio de 2010

Mais uma vez acordamos cedo e fomos em direção ao Poço Encantado. No caminho, paramos para conhecer a Camelot Pousada. Ficamos estarrecidos com a estrutura. A entrada é um imponente castelo medieval e a hospedagem se dá em chalés, que formam uma vila toda cercada pelo muro cinza, trazendo à lembrança as fortalezas que vemos nos filmes.

O acesso ao Poço Encantado se dá pela  GO-118 (sentido Teresina de Goiás) e o percurso totaliza 57 quilômetros. No local existe boa infraestrutura com restaurante e banheiros justificando os R$10,00 de entrada. Tem uma palhoça onde é possível sentar e admirar a cachoeira. A trilha é curta e de fácil acesso, apenas 300 m, incluindo uma ponte suspensa de madeira. A cachoeira é linda, com areia de praia e excelente poço pra banho. Ainda tem um vendedor de água de coco geladinha. Que chique! Praia de água doce caindo da cachoeira, e água de coco para matar a sede. O chão é pedregoso e se você ousar ficar parado, sentirá o beliscado das piabinhas incomodadas com sua presença. O banho é uma delícia.

Saindo de lá, fomos para a Cachoeira do Rio Cristal, que fica a 11 km de Alto Paraíso. A cachoeira encontra-se em propriedade particular com estrutura bacana composta de lanchonete, banheiros e área para camping. É cobrada uma taxa de R$7,00 para percorrer suas trilhas. São 07 quedas formadas pelo Rio dos Cristais (Poço da Vovó, Massagem, Paraíso, Recanto da Paz, Corredeiras, Segredo e Véu de Noiva), a mais alta com 15 m. Há também uma segunda opção de percurso que leva a Cachoeira da Água Fria, da qual o visitante alcança a parte superior. Não fizemos a trilha da Água Fria. O percurso de Cristais é de 400 metros com degraus e descidas íngremes. A descida é tranquila, a volta é um pouco puxada. Descemos até o poço do Véu de Noiva, tomamos banho, voltamos, compramos cervejas e ficamos tomando banho no Poço da Vovó. Banho bem agradável.

Para encerrar o dia, fomos para as Loquinhas, que ficam a apenas 03 km de Alto Paraíso. Mais uma taxa de R$10,00 pela entrada. A estrutura é muito boa e o acesso aos poços de águas verdes é todo feito por pontes suspensas, passarelas de madeira e escadas com corrimãos de corda. Caminha-se em meio às árvores ouvindo o barulho da água. Não tomamos banho em todos os poços, pois como era fim de tarde, o sol estava se pondo e a água turva nos deu um pouco de receio, principalmente após termos presenciado uma cobra engolindo um sapo.

Antes de voltar à pousada, passamos no Barracão 3, lanchonete que vende produtos naturais e orgânicos e nos deliciamos com sanduíches caprichados e tigelas de açaí. Retornamos a pousada, tiramos um cochilo para recuperar as forças e aproveitar nossa última noite. Iniciamos tomando um vinho no Restaurante e Bar Alquimia e fechamos com chave de ouro no Restaurante Jambalaya, desfrutando Steak au Poivre (pratos e bebidas pra 02 pessoas, R$ 85,00).

>> Barracão 3: Rua Pouso Alto, 225 – Alto Paraíso – GO (62) 3446 1280

>> Alquimia: Espaço Gama Brasil – Av. Engenheiro Ary Valadão Filho, 1035 (62) 3446 2191

>> Jambalaya: Av. Engenheiro Ary Valadão Filho, ao lado do Hymalaias (62) 9973-5501

23 de maio

Acordamos cedo pra cumprir o roteiro das nossas últimas atrações, Almécegas I e II e São Bento, todas na mesma propriedade, a Fazenda São Bento, localizada a 9km de Alto Paraíso. Creio que pagamos uma taxa única de R$ 10,00. Tem uma bifurcação onde se escolhe Almecegas I ou II. Iniciamos pela Almecegas I, cujo nível de percurso é moderado, devido a grandes degraus de rochas dentre subidas e descidas. É uma cachoeira bastante imponente. Há um mirante pra vê-la de cima, mas também é possível descer até o poço. Não tomamos banho na I, somente na II.

O banho na II foi ótimo. Dá pra massagear as costas sentando nos degraus da queda d’água e ainda descer até o poço para se refrescar na água geladinha. Tem umas pedras enormes onde é possível ficar de pé e se refrescar sem medo.

E pra finalizar nossos passeios, um banho final revigorante na cachoeira São Bento que tem fácil acesso, 200 metros de percurso, além de ser possível parar o carro próximo.

Pra quem tem mais tempo, na propriedade também tem uma tirolesa, a Voo do Gavião, com 850m de distância e 95m de altura considerada a 3ª maior do Centro-Oeste. Infelizmente, não deu pra nós.

Voltamos a pousada, fizemos check out, paramos pra almoçar no Jatô Restaurante (ótima comida servida no quilo) e seguimos rumo a Brasília. Antes de embarcar, como ainda havia um tempinho, passeamos pelo Lago Paranoá e jantamos no Outback (parada obrigatória). O custo total com combustível foi de R$ 210 reais e o custo com a locação do carro de R$ 420,00.  E assim, nos despedimos de mais uma viagem maravilhosa. Até a próxima 🙂

 >> Jatô Resturante: Rua Palipalã (62) 3446-1339 / (62) 9972-5037

2 comments

  1. Adoreiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!
    Valeu a pena esperar Anjo, realmente os lugares são lindos, do jeitinho que você contou.
    Com certeza é uma dica muito bacana.
    Próxima parada, EUA, kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Obs.: Não esquece dos posts online durante a próxima viagem hein?! rsrsrs

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *