9º Dia: Grand Canyon

23/11/2011

Las Vegas8

Hoje era dia de algo grandioso, o Grand Canyon. Saindo de Vegas você tem várias opções de empresas que tanto podem levá-lo de helicóptero como de ônibus em excursão, caso não queira se aventurar pela estrada em carro próprio/alugado.

Uma coisa que faço é dar uma olhada no Groupon da cidade para a qual vou viajar. Se houver algo interessante na data na qual estarei na cidade e claro, após consultar o preço original da oferta para confirmar se realmente vale a pena, por que não comprar o cupom ou checar com a empresa se ela faz o mesmo precinho camarada da promo?

Assim fiz eu, vi a oferta de um tour até o Grand Canyon pela parte sul ao custo de U$ 79.00. Certifiquei-me do preço original, de tudo que estava incluído e também se havia cobrança de taxas extras. Após obter todas as respostas, tentei comprar o cupom e acendeu a luz vermelha: só é possível comprar com cartão de crédito e endereço americanos. Imediatamente, mandei um e-mail para a empresa Grand Canyon Tour Company e expliquei a situação. Eles prontamente me fizeram o mesmo preço da promoção, então efetuei a reserva diretamente com a empresa através do envio de um formulário devidamente preenchido por mim com várias informações, dentre elas o número do cartão de crédito, este apenas para garantia, pois o pagamento acontece apenas na data do tour. Caso você não apareça, será descontado o valor integral da tarifa, bem como se você avisar com 48hs da data do evento que não poderá ir. Se você cancelar antes de 48hs será descontado cerca de 45% do valor da reserva.  Ah, uns dois dias antes do passeio, o casal de amigos que estava conosco resolveu ir também, então liguei para a empresa GCTCO perguntando se havia vagas e se era possível fazer para eles o mesmo valor da promoção. Deu tudo certo!!!

 Assim seria o dia:

  • Em qualquer lugar entre 6:00-6h55 vamos buscá-lo no hotel que você estará em Las Vegas. Os horários são diferentes para cada hotel.
  • Ao buscá-lo vamos levá-lo para a nossa área de check in.
  • Por volta das 07h15 os ônibus vão deixar Las Vegas com direção a parte sul do Canyon.
  • Demora cerca de 4-4 horas e meia para chegar lá.
  • Haverá um pit stop em Kingman e um em Williams, AZ.
  • Em Williams terá um buffet  de almoço no Max & Thelma’s Café. (Incluído no preço)
  • Você terá um total de 2 ½ – 3 horas no Canyon.
  • O primeiro ponto é Mather Point.
  • Você terá tempo para passear por conta própria e tirar fotos.
  • Você pode fazer um passeio opcional ao Rim Yavapai Point, que é cerca de 2 ½ a 3 milhas de distância.
  • Se você não quiser ir caminhando, o ônibus pode levá-lo direto ao ponto.
  • O próximo ponto é Bright Angel Lodge, há o Hopi House Museum & the Lookout Studio. Você vai ter uma visão muito boa do Canyon a partir daqui.
  • A saída do Canyon será aproximadamente às 03:30 p.m.
  • No caminho de volta há uma parada em Kingman, AZ.
  • A chegada em Las Vegas será em torno de 09:00 – 09:30 p.m.

Las Vegas9

Como você pode ver, a viagem é cansativa, são aproximadamente 14 a 14,5 horas no total das quais você passa de 2,5 a 3 horas no Grand Canyon. É na região sul que você verá a parte mais profunda, mais panorâmica e mais selvagem das formações rochosas. Olha, mas vale a pena demais! Se você tiver grana para ir de helicóptero ou tiver tempo e disposição para ir de carro por conta própria e acampar ou hospedar-se por lá, vá, pois uma coisa eu digo, 3 horas são insuficientes para desfrutar de tanta beleza criada pela nossa mãe natureza e que é top na lista das Sete Maravilhas Naturais do Mundo. Há também uma opção de tour com pernoite dentro do próprio parque em uma das acomodações do Yavapai lodging.

O tour inclui lanche do café da manhã, afinal você tem que estar prontamente na porta do seu hotel no horário indicado por eles, no nosso caso, as 06h55min da manhã. Assim fizemos nós. O ônibus nos buscou e nos levou até o Planet Hollywood onde recebemos o lanche da manhã e fizemos o pagamento no mesmo cartão da reserva. DICA: Ao reservar qualquer coisa no cartão, não se esqueça de levá-lo, pois há locais que não aceitam que você realize o pagamento em um cartão diferente daquele da reserva.

Pronto, agora era sentar na poltrona e aproveitar a rota entre os estados de Nevada e Arizona. É uma paisagem árida com direito a passar sobre a ponte com vista para a represa Hoover Dam (aquela do filme do Super Man) por onde corre o rio Colorado e trafegar pela bucólica Rota 66. A famosa rota de programas de TV e letras de músicas, inaugurada em 1926, ligava Chicago a Los Angeles e tinha quase 4.000km cruzando áreas inabitadas e desérticas de vegetação rasteira por onde trafegavam imigrantes em busca de melhores oportunidades na Califórnia. Nos anos 80, a velha autoestrada foi fechada e boa parte dela foi substituída por novas e largas autoestradas.

O motorista e guia Leo narrava todas as curiosidades do percurso apenas em inglês. Nos momentos silenciosos entrava um vídeo das antigas na TV narrando o surgimento de Las Vegas. Foram muitos cochilos até a primeira parada em Kingman para usar o banheiro e comprar algum lanche. Próximo de 13 horas ocorreu à parada para o almoço no Max & Thelma’s na cidade de Williams construída na Rota 66. Self service com bebida e sobremesa incluídos. Pronto, agora restavam apenas 100 km até o Grand Canyon National Park.

Las Vegas10

Por volta das 15:00hs, estávamos nós contemplando um dos lugares mais bonitos que vimos na vida. Caminhar, sentar-se nos bancos e desfrutar da paisagem, fotografar, observar, orar, seja lá o que você estiver fazendo você sentirá como se estivesse flutuando de satisfação e sua paz só será atrapalhada pelos outros turistas barulhentos, principalmente os orientais, incontidos e falantes. Espertamente deixamos o grupo para trás em busca de calmaria e saímos explorando o lugar. Apesar de haver sol, corria uma brisa fria que nos obrigou a colocar os moletons. E este mesmo sol desenhava sombras nas rochas dando aquela pincelada na paisagem. Sobre as rochas era possível ver resquícios de neve e, boa matuta que sou, arranquei uma parte caída sobre o solo e tasquei na boca a fim de descobrir o gosto que tinha. Garrafas secas e squeezies a mão para reabastecer nas fontes de água natural ao longo do percurso.

O sol estava se pondo o que tornou o momento ainda mais privilegiado. Há pontos de observação onde dá pra ver melhor o pôr do sol. Tudo isso consta no jornal-guia que recebemos ao chegar ao parque, cujo conteúdo tem mapas, indicações de passeios, eventos e oportunidades, dicas, formas de explorar o parque (a pé, de bike, de carro), opções de hospedagem, serviços para visitantes, lojas de souvenirs, museus, etc.

Las Vegas11

Como tudo que é bom, dura pouco, era hora de voltar. Apesar de deslumbrados, estávamos sempre atentos ao relógio para não perder a hora da saída do ônibus. A volta foi entediante e houve apenas uma parada de 15min. Chegamos a Vegas famintos e exaustos, então fomos ao Paris que fica colado com o Bally’s explorar o local e nos alimentar.

 G-E-N-T-E, que lugar lindo!!! Ruelas de tijolos iluminadas pelas estrelas e pelos postes típicos de Paris cheias de restaurantes maravilhosos, um encanto só. Querendo comer algo que fosse preparado rápido e custasse pouco, comemos uma pizza deliciosa no  JJ’s Boulangerie. E no Paris você pode ainda ver réplicas da Eiffel Tower, do Louvre, do Arc de Triomphe, do Paris Opera House e de Versalhes. Pronto, com a barriga cheia e extasiados com o passeio do dia era hora de recarregar as baterias.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *